Setor Produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios

Para conseguir fazer um distrato um empreendedor pode levar até mais de oito horas em cartórios”, relatou Francisco Reinaldo, do Sinduscon.

Representantes do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Teresina (Sinduscon) e Associação Industrial do Piauí (AIP) estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira, dia 20, com o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, para tratar sobre o atendimento e celeridade nos cartórios da capital, além de outros assuntos do setor que necessitam de apoio do judiciário.

Foto: DivulgaçãoSetor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios
Setor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios

Francisco Reinaldo, presidente do Sinduscon Teresina, afirmou que o Piauí atualmente possui PIB industrial de R$ 4,8 bilhões e tem 55.078 trabalhadores na indústria. Além disso, ressaltou que o setor da construção civil no PIB industrial piauiense chega a 61,1%, conforme dados da Confederação Nacional da Indústria.

 
“Esse percentual comprova, mais uma vez, a força e a importância que nós, construtores e geradores de emprego, possuímos para a economia do Estado. Mesmo considerando os efeitos da crise internacional, esse dinamismo vem sendo sustentado, o que implica novos desafios em relação à inovação, tecnologia, qualificação profissional e ao estabelecimento de ambientes de negócios que favoreçam a produtividade, a competitividade empresarial e o desenvolvimento local”, afirmou.

Foto: DivulgaçãoSetor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios
Setor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios

Entretanto, o cenário encontrado pelos construtores na capital é um dos piores do Brasil, especialmente por conta da lentidão nos trâmites burocráticos, como o atendimento nos cartórios. “A morosidade do atendimento nos cartórios é um grande entrave. As longas filas prejudicam o dia a dia dos empreendimentos e geram até prejuízos financeiros, pois o mercado da construção civil é dinâmico.

Para conseguir fazer um distrato um empreendedor pode levar até mais de oito horas em cartórios”, relatou Francisco Reinaldo, presidente do Sinduscon. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sebastião Martins, assegurou que fará uma articulação junto ao vice-corregedor geral de Justiça, desembargador Oton Mário José Lustosa Torres, para buscar soluções efetivas para o entrave nos cartórios de Teresina. “Vamos criar um plano de trabalho para que possamos contribuir com o setor produtivo, que é essencial para o nosso Estado”, frisou. 

Foto: DivulgaçãoSetor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios
Setor produtivo pede apoio do Judiciário para celeridade nos cartórios

Gilberto Pedrosa, presidente da Associação Industrial do Piauí, considerou produtivo o encontro e acredita na implementação de ações efetivas que contribuirão com melhorias no setor industrial. “Mostramos os problemas que enfrentamos com os cartórios que hoje é nosso grande nó. A partir desse encontro com o vice- corregedor vamos encontrar juntos uma alternativa para esse problema”, destacou. 


“Teremos um plano de trabalho administrativo em relação ao setor, pois temos alguns problemas na área da justiça que podem ser sanados. O nosso principal objetivo é melhorar os processos relacionados aos prazos e à celeridade no atendimento junto aos cartórios”, afirmou o presidente do Sinduscon, Francisco Reinaldo.

Fonte: Ascom

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua opinião sobre porte de armas no Brasil?

  • 5,97%
  • 19,4%
  • 41,79%
  • 4,48%
  • 8,96%
  • 10,45%
  • 7,46%
  • 1,49%

Total: 67 voto(s)

Encerrada em 30/11/2017 17:07

Últimas Notícias

1