MPF aciona exercito e PM para retirada de caminhoneiros do Terminal

O secretário de segurança do Piauí disse que a ordem do MPF será cumprida. O presidente do Sindicapi Humberto Lopes teme por derramamento de sangue.

Sem negociação com a Polícia Militar, alguns caminhoneiros permanecem bloqueando a saída de carros do Terminal de Petróleo de Teresina, inviabilizando assim o reabastecimento dos postos de combustíveis. A informação foi repassada pelo presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Piauí, Alexandre Cavalcante.

Para colaborar com a desobstrução do local, o Ministério Público Federal (MPF) requisitou o apoio das forças Armadas e da Polícia Rodoviária Federal. 

A PM, sob o comando da Coronel Júlia, também permanece no local tentando negociar a desocupação. A ordem é terminar com as manifestações até o final desta segunda-feira (28). 

Ainda de acordo com Alexandre, os postos de combustível não aumentaram o preço da gasolina, do etanol e do diesel. Donos de postos cobram segurança para a liberação de caminhões de combustível

Representantes de diversos seguimentos se reuniram na manhã desta segunda-feira, (28), na Assembleia Legislativa do Piauí para cobrarem a desobstrução da área do Terminal de Petróleo e segurança para os caminhoneiros que tentam sair do local para fazerem o abastecimento dos postos de combustível.

Foto: TELSÍRIO ALENCAR/PAUTAJUDICIALEntidades estiveram reunidas na presidência da Alepi
Entidades estiveram reunidas na presidência da Alepi

“Há muitos motoristas querendo trabalhar, mas estão sendo coibidos, por isso, vimos pedir proteção para quem quer trabalhar. Ontem à noite, vários carros foram depredados em frente ao Terminal de Petróleo e motoristas foram ameaçados de terem seus carros ateados fogo e quebrados por pedras. Por isso, estamos pedindo segurança de modo que seja uma garantia para quem quer trabalhar”, disse o presidente do Sindicato dos Proprietários de Postos de Combustíveis do Piauí, Alexandre Cavalcante.

Foto: TELSÍRIO ALENCAR/PAUTAJUDICIALA entidades e o comando de segurança publica reunidas na alepi
A entidades e o comando de segurança publica reunidas na alepi

Já o presidente do Sindicapi Humberto Lopes disse que teme por derramamento de sangue contra os manifestantes e pede cautela e diálogo entre todos.

O presidente do sindicato ainda ressaltou que não sabe identificar quais são as pessoas que assumiram o protesto. “A princípio tinha uma certa quantidade de motoristas de aplicativo, no momento, não sei quem está lá e seja quem for não tem o direito de impedir os outros trabalharem, muitas cidades do interior está sem combustível”, afirmou.  

O sindicalista avaliou que em estados vizinhos, como o Maranhão, Ceará e Pernambuco a situação está menos caótica do que no Piauí porque contaram com intervenção do Governo.

“Eu observei que onde o Governo interveio , a situação está menos caótica do que no Piauí. Nos estados vizinhos ainda há crise, mas aqui estamos praticamente zerados. Por causa da intervenção do Governo, esses estados vizinhos estão conseguindo manter até 40% dos postos. Não é o ideal, mas a população está sofrendo bem menos do que aqui no Piauí onde o Governo está omisso, pois não vejo atitude efetiva para desbloquear a passagem”, disse Alexandre

.

Fonte: REDAÇÃO/AZ

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua opinião sobre porte de armas no Brasil?

  • 5,97%
  • 19,4%
  • 41,79%
  • 4,48%
  • 8,96%
  • 10,45%
  • 7,46%
  • 1,49%

Total: 67 voto(s)

Encerrada em 30/11/2017 17:07

Últimas Notícias

1