Juiz Luiz Moura nega prisão domiciliar a autor de tiroteio em Teresina

A defesa de Flábio Sousa Silva alega que o paciente está doente por isso pediu a conversão da preventiva para a prisão domiciliar.

Juiz da Central de Inquéritos de Teresina, Luiz Moura Correa, requisitou informação à Secretaria de Justiça acerca da possibilidade de tratamento do acusado de praticar vários disparos no estacionamento da Newland na zona leste da capital, Flábio Sousa Silva em estabelecimento prisional.

Foto: Pauta JudicialDr. Luiz Moura titular da Central de Inquérito.
Dr. Luiz Moura titular da Central de Inquérito.

A defesa de Flábio Sousa solicitou do magistrado que o paciente tivesse sua prisão preventiva convertida em prisão domiciliar. O promotor de justiça João Benigno Filho deferiu o pedido da defesa, mas em despacho, o juiz ressalta a periculosidade do acusado e a necessidade de manutenção da prisão, mas pontua que caso o sistema prisional não dispuser de meios adequados ao seu tratamento de saúde será imperiosa sua conversão em prisão domiciliar.

Foto: ReproduçãoO juiz Luiz Moura da Central de Inquéritos quer ouvir a secretaria de justiça
O juiz Luiz Moura da Central de Inquéritos quer ouvir a secretaria de justiça

Trata-se de Pedido de Conversão da Prisão Preventiva em Prisão Domiciliar, formulado pela defesa de Flábio Sousa Silva o qual foi preso em flagrante no dia, 24 de fevereiro de 2018, pela prática do delito de tentativa de Homicídio, fato ocorrido na data da prisão, no estacionamento da empresa Newland, localizada na Av. Raul Lopes, zona leste desta Capital.

VEJA PARECER DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Fonte: REDAÇÃO

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua opinião sobre porte de armas no Brasil?

  • 5,97%
  • 19,4%
  • 41,79%
  • 4,48%
  • 8,96%
  • 10,45%
  • 7,46%
  • 1,49%

Total: 67 voto(s)

Encerrada em 30/11/2017 17:07

Últimas Notícias

1