Deputado Federal do PI que traiu seu partido foi expulso

O Diretório Nacional do PSB decidiu nesta sexta-feira (30), por 82 votos a 4, expulsar o deputado federal Átila Lira (PI) por votar a favor da reforma da Previdência, contrariando a posição do partido

O texto foi aprovado em primeiro turno em julho. Depois, em agosto, a proposta foi aprovada em segundo turno e enviada ao Senado. Átila Lira votou a favor da reforma nos dois turnos.

Foto: DivulgaçãoDeputado Federal do Piauí Átila Lira foi expulso do PSB
Deputado Federal do Piauí Átila Lira foi expulso do PSB

Ao analisar o caso de Átila Lira nesta sexta-feira, a resolveu expulsar o deputado por considerá-lo reincidente no descumprimento de decisões da legenda. Em abril de 2017, por exemplo, Lira votou a favor da reforma do então presidente Michel Temer que alterou a legislação trabalhista.

Com a expulsão de Lira, a bancada do PSB na Câmara passará de 32 para 31 deputados.

O partido defina ainda nesta sexta a situação de outros nove parlamentares também alvos de processo ético. A expectativa entre integrantes é que eles permanecerão na legenda, mas ofrerão algum tipo de punição, como perda de prerrogativas parlamentares e partidárias.

Defesa

Átila Lira não compareceu à reunião do Diretório Nacional do PSB e entregou a defesa por escrito.

No documento, o deputado justificou o voto favorável à reforma da Previdência afirmando que o texto final foi mais equilibrado do que o proposto pelo governo federal.

O deputado argumentou, ainda, que os pontos modificados durante a tramitação na Câmara tornaram "seu efeito mais brando e justo aos trabalhadores".

Voto do relator

Relator do caso, o ex-deputado Domingos Leonelli considerou a situação de Lira como grave e votou pela expulsão.

Leonelli ressaltou que o PSB não era contra qualquer reforma da Previdência, mas contra a reforma proposta.

O relator afirmou haver "constante desalinhamento" de Átila Lira em relação às atividades partidárias, votando de forma contrária ao posicionamento do partido, segundo ele, em "inaceitáveis 71% das deliberações" na Câmara.

Pedido do líder

Líder da bancada na Câmara, o deputado Tadeu Alencar (PSB-PE) chegou a defender que não houvesse expulsão, mas ao mesmo tempo, disse ser preciso respeitar as decisões partidárias.

O presidente da legenda, Carlos Siqueira, pediu aos deputados que votaram contra a Previdência se levantassem e puxou uma salva de palmas do auditório.

Fonte: G1

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua opinião sobre porte de armas no Brasil?

  • 5,97%
  • 19,4%
  • 41,79%
  • 4,48%
  • 8,96%
  • 10,45%
  • 7,46%
  • 1,49%

Total: 67 voto(s)

Encerrada em 30/11/2017 17:07

Últimas Notícias

1