Bolsonaro dispara um tiro de revogação em seu decreto de porte de arma

Medida ocorre após o comissão do Senado aprovar parecer que pede a suspensão dos decretos. STF começaria a julgar nesta quarta pedido para anular o decreto

O presidente Jair Bolsonaro decidiu revogar o decreto que facilitou o porte de armas de fogo. A informação foi dada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em reunião com senadores na tarde desta terça-feira (25).

Foto: ReproduçãoPresidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro

Bolsonaro editou, em maio, dois decretos sobre posse e porte de armas de fogo e uso de munições. A pacote de mudanças foi alvo de críticas e, na semana passada, o plenário do Senado aprovou parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que pede a suspensão dos decretos.

Mais tarde nesta terça foi publicada uma edição extra do "Diário Oficial da União" que oficializou o recuo do governo.

A publicação trouxe a revogação dos decretos sobre armas e munições editados por Bolsonaro em maio e que tiveram parecer do Senado pela suspensão. Além das revogações, o governo editou três novos decretos sobre o tema.

Decreto 9.844: regulamenta lei sobre sobre a aquisição, o cadastro, o registro, o porte e a comercialização de armas de fogo e de munição e sobre o Sistema Nacional de Armas e o Sistema de Gerenciamento Militar de Armas

Decreto 9.845: regulamenta lei sobre a aquisição, o cadastro, o registro e a posse de armas de fogo e de munição.

Decreto 9.846: regulamenta lei sobre o registro, o cadastro e a aquisição de armas e de munições por caçadores, colecionadores e atiradores.

O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa. É diferente da posse, que só permite manter a arma dentro de casa.

Fonte: G1

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua opinião sobre porte de armas no Brasil?

  • 5,97%
  • 19,4%
  • 41,79%
  • 4,48%
  • 8,96%
  • 10,45%
  • 7,46%
  • 1,49%

Total: 67 voto(s)

Encerrada em 30/11/2017 17:07

Últimas Notícias

1